AGENDA DO PROJETO D-STAR

Por volta das 13h eu e o PU2VNC - Vinícius fomos até Indaiatuba buscar na Radiohaus os equipamentos. No total foram quatro caixas, sendo que uma era a controladora (ID-RP2C), outra a repetidora de VHF (ID-RP2000V), outra a repetidora de 1.2GHz (ID-RP2V) e a repetidora de dados de 1.2GHz (ID-RP2D). Deixaremos as duas de 1.2GHz para outra ocasião, pois ainda não temos nenhum rádio ID-1 para poder utilizar essa banda. Recebemos o sistema D-STAR sem a repetidora de UHF (ID-RP4000V), pois a Icom só terá disponível em setembro a versão com faixa de UHF para as frequências usadas no Brasil (430MHz ~ 440MHz).

Chegamos cedo de Indaiatuba, mas todos nós tínhamos ainda a tarde de trabalho pela frente, portanto só pudemos colocar as mãos nos brinquedos novos após às 19h.
Por volta das 17h sai de HT pela cidade e a PU2LLM - Bel ficou na base em nossa primeira transmissão digital simplex. Muito interessante, nada de ruídos e ela achou que minha voz no rádio se parecida com a do robô R2C2 do filme Star Wars.

Às 19h, chegou o PU2LAA - Junior e o PU2VNC - Vinícius para começamos a verificar o conteúdo das caixas. Na verdade não havia muito nelas, apenas o gabinete padrão 19 polegadas e um manual relativamente fino. A única diferença era a caixa da controladora que veio com um cabo de alimentação extremamente grosso e um CD.


PU2LAA - Junior e PY2JF - João Roberto estudando os manuais

Eu comecei a ler o manual da controladora e o Junior o manual da repetidora de VHF. Inicialmente estávamos preocupados com o tempo, pois recebemos o sistema um dia antes da feira e tudo deveria estar funcionando para demonstração no dia seguinte. Já havíamos concordado em varar a madrugada para honrar o compromisso se fosse necessário, mas felizmente não foi.


PU2LAA - Junior configurando a repetidora


Poucos minutos depois o Junior descobriu que bastava instalar um software e um drivers no Windows e através de uma porta USB configurar separadamente o receptor de VHF para 144.430MHz e o transmissor para 145.230MHz. Foi moleza. Após eu ler o manual da controladora, descobri que 80% dele ensinava a instalar o software e o drivers no Windows e apenas duas páginas explicavam o que configurar na controladora. A única diferença é que a controladora se configura através de uma porta Ethernet, e não pela USB como a repetidora.
Para ser sincero, a configuração da controladora foi uma decepção. Eu imaginava centenas de configurações de bipes, timers e todo tipo de frescuras que só uma repetidora digital poderia proporcionar. Ledo engano. Na controladora só se configura uma meia dúzia de parâmetros e nada de bipes ou timers. Apenas escolhemos qual repetidora vai conectada em cada uma das quatro saídas traseiras da controladora. Cada módulo de repetidora tem uma letra, sendo que o de 1.2GHz de voz e dados levam o sufixo A, o de UHF leva o B e o de VHF leva o C. Tem mais uns dois parâmetros para funcionar como gateway, mas no momento não precisamos disso. Por fim se coloca o indicativo da repetidora e pronto.
Depois foi a vez de configurar os rádios, o que imaginamos ser a parte fácil do processo. Neles sim é que quebramos a cara! Pensamos que tudo estava resolvido, pois configuramos a controladora e a repetidora de VHF em menos de meia hora. Mas levamos umas duas horas para entender o manual dos rádios, que muitas vezes mais complica do que explica. Achei tanto o manual do IC91AD e do ID-800H extremamente mal feitos e com explicações confusas. Imagino que muita gente vai ter problemas em entender a parte que explica a configuração do D-STAR. Pretendo em breve escrever um artigo para mostrar como configurar cada um dos três modelos (IC-91AD/ID-800H/IC2820H) que iremos utilizar.
Em resumo, cada rádio deve ser configurado com o indicativo do proprietário na memória MYCALL, com o prefixo da repetidora na memória RPTC1, e com o indicativo de quem pretende chamar na memória URCALL. Essa última pode ser configurada com CQCQCQ para acessar todos os rádios que estiverem na escuta da repetidora.


Arquitetura completa das repetidoras D-STAR do CRAM


PU2LAA - Junior configurando o ID-800H


Concluídas as configurações dos rádios, fomos aos testes. Tudo funcionou como esperado. Quando se transmite em simplex, o indicativo de quem chama aparece imediatamente no display do rádio chamado. Sempre que a transmissão termina, o rádio acrescenta um bipe no final da transmissão para você saber que já pode falar, pois no modo digital não existe aquele barulho de fechamento de squelch que é comum no modo analógico.


PU2VNC - Vinicius testando a transmissão através da repetidora


Operando através da repetidora tudo acontece da mesma forma, inclusive com o mesmo bipe. Alias, a repetidora nem tem bipe. É o rádio que acrescenta o bipe no final, seja via repetidora ou simplex.


ID-800H mostrando meu indicativo ao receber sinal do HT


Testamos também o envio de mensagens de texto. Funciona muito bem, mas não é muito prático ficar editando mensagens pelos botões dos rádios. O ideal seria conectar um PC na entrada de dados do rádio e utilizar um aplicativo para envio de mensagens. Isso será muito útil quando se desejar fazer um chat de forma sigilosa com alguém. Para passar números de telefone e mensagens curtas, dá para se virar com os botões dos rádios.

Terminado os testes e como bons radioamadores, não podíamos deixar de dar uma espiada dentro dos gabinetes para ver como foram construídos.


Dentro da repetidora dois rádios sem frente


Dentro da controladora uma complexa placa de PCB com componentes SMD
Há! Descobrimos o motivo da controladora ter um cabo de força tão grosso. Internamente ela alimenta em paralelo até quatro saídas, onde cada uma delas pode receber uma repetidora.


A repetidora já instalada no rack, só aguardando a fonte de alimentação

O sistema D-STAR foi uma das estrelas da FENARCOM 2007. Houve grande interesse dos visitantes em conhecer o sistema e seus rádios. Dois grupos de radioamadores demostraram interesse em montar repetidoras D-STAR em suas cidades (São Paulo e Brasília). Legal! Em breve falaremos com eles através do gateway.
Uma boa notícia. O Junior da Soundy nos fornecerá gratuitamente uma fonte de 30A com amperímetro para instalação de rack para nosso projeto. Em breve fotos da instalação com a fonte da Soundy.

No dia 24/07/2007, por causa da chuva, adiamos a instalação da repetidora. Eu e o PU2LWR – Mário, fizemos o primeiro contato longo no modo DV. Ele em sua casa com o ID-800H numa antena GP9 e eu andando pela cidade com o HT IC-91AD (antena de borracha). O Mario também notou o áudio diferente, como a Bel havia comentado. Mas, após 5 minutos de conversa nos esquecemos desse detalhe, que não parece ser um problema. A qualidade de áudio do modo FM com um sinal final de escala é superior, mas o D-STAR leva nota 8.
Mas o que mais nos impressionou foi que em momento algum o áudio ficou ruim. Mesmo quando o sinal no display do Mario era S1, meu áudio era perfeito. Temos muitos testes ainda pela frente, mas já percebemos algumas vantagens do modo DV. Imagine que estamos numa rodada com três pessoas, uma na cidade chegando S10 na repetidora, outra em cidade vizinha chegando sinal S5 e outra numa cidade mais distante chegando S1. Pelo que pudemos verificar, todas elas terão a mesma qualidade de áudio, tornando impossível distinguir quem está local e quem está fora da cidade.

Em 25.07.2007 não parava de chover e ainda não podíamos retirar o duplexador da repetidora 145.230MHz para instalar a nova repetidora em local alternativo. Programamos para dia 27/07, se não chovesse.

Finalmente, 26.07.2007 tivemos uma tarde sem chuvas. Retiramos o duplexador e os equipamentos analógicos da 145.230MHz. Nesse final de semana instalamos esses mesmos equipamentos temporariamente na repetidora PY2KSR de Santa Rita do Passa Quatro (146.360MHz - +600/Subtom 74.4Hz).
Instalamos a 145.230MHz D-STAR em local alternativo e iniciamos testes pela cidade. Andamos por vários bairros e conseguimos contato ininterrupto usando um HT D-STAR. Participaram dos testes nesse dia: PU2LAA - Junior, PU2LWR - Mario, PU2TTY -Celso e eu.

Em 18.08.2007, como já havíamos divulgado, a Soundy nos fez a doação da fonte para a repetidora D-STAR. Fonte que foi montada exclusivamente, para nossa repetidora num gabinete de 19 polegadas para instalação em nosso rack. A fonte é de 13,8V/30A com amperímetro no painel frontal. Eu e o PU2LAA - Junior fomos até Itapira receber a doação das mãos do PU2LXY - Junior. Confira o momento da entrega:


PU2WWH - Junior, PU2LAA - Junior, PU2LXY - Junior,
PY2JF - João Roberto e PY4LE - Marcelo